As nossas bagunças que ignoramos

Esses dias eu estava conversando com uma amiga sobre uma confusão que está uma parte da minha vida e ela falou algo como: “você precisa se decidir”. E eu só respondi: “Olha, primeiro eu vou resolver a parte Y da minha vida, depois eu lido com a X”.

Você já sentiu isso?

Como se você estivesse tão confuso e perdido em tantas áreas da sua vida, que você não consegue, e nem quer, lidar com todas de uma vez. Como se você simplesmente aceitasse que aquilo vai ficar bagunçado por um tempo, desde que você foque em outras coisas.

É como se a gente se conformasse em viver na zona por um tempo, como se a gente empurrasse tudo pra debaixo do tapete ou enfiasse toda aquela tralha velha dentro de um quartinho e fechasse a porta com as coisas quase saindo pra fora.

Se você abrir a porta… Puff, tudo se espalha pelo chão, é tanta bagagem e coisa pra lidar que você prefere deixar ali guardado. Escondido, ignorado… Em um lugar que você não vê, ou pelo menos finge que não vê. Porque você sabe que está lá. Trancado. Escondido.

Parece tão mais fácil deixar isso pra depois, né? Mas ao mesmo tempo, quanto mais deixamos, mais precisamos ir encaixando coisas dentro daquele quartinho. E ele vai ficando cada vez mais cheio. A porta vai se enfraquecendo cada vez mais e você quase pode ver tudo aquilo voando pelos ares de uma hora pra outra.

Vale a pena? Viver esperando o momento em que tudo vai voar pelos ares? Ter a certeza de que algo não está certo mas continuar fechando os olhos pra algo que está na sua frente?

Eu ando fazendo essas perguntas pra mim mesma… Eu sei que o melhor é abrir aquele armário, esperar tudo cair no chão ou em cima de mim e começar a levantar cada coisinha, colocando tudo no seu devido lugar, para assim decidir se eu deixo aquela porta fechada, mas com tudo organizado lá dentro ou se deixo ela aberta.

Mas é tão mais fácil falar, imaginar como vai ser abrir aquela porta do que de fato ir lá e fazer isso. Acho que é como dizem… Precisamos tirar o band-aid. Sem pensar. Vai doer, mas vai passar.


2 comentários sobre “As nossas bagunças que ignoramos

  1. Olha, quando se decide organizar uma coisa de cada vez, parece uma reação em cadeia. Escolha uma e vai, que as outras vão acompanhar, se desenvolver e se desenrolar. E de repente tudo se resolve, e vemos que aquela bagunça toda nem era tão bagunçada assim.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s