Reflexões sobre relacionamentos abusivos

Hoje vim falar de um assunto que eu nem sei porquê não falei ainda.

Uma realidade vivida por muitas, mas muitas mulheres. Uma realidade que eu já vivi, mais de uma vez, em grandes e pequenas parcelas.

Ontem eu estava assistindo aquela série, Big Little Lies, que me fez pensar muito sobre isso. Não sei se você já viu, é muito boa, inclusive, mas tem um dos casais que é visto como o casal perfeito, ambos lindos, apaixonados e cheios de fogo. Pelo menos é o que eles passam pros outros, até as amigas mais próximas dela não sabem que ela é agredida frequentemente e que as agressões só aumentam e pioram.

Enfim, ela é uma mulher linda, muito bem sucedida, inteligente, com dois filhos, em uma sociedade de merda onde todos se julgam e que ela mesma cobra muito de si mesma. Além, é claro, de adorar a imagem que todos têm deles e querer manter assim. Mesmo que a realidade de muitas mulheres não seja a mesma que a dela, acho que por dentro acaba sendo. Vou usar eu mesma como exemplo porque é mais fácil e eu me baseio em fatos reais rs vamos lá…

(baseado em fatos reais)

Você está em um relacionamento que está tudo bem, vocês têm as suas brigas de vez em quando, mas nada demais. Você ama muito a outra pessoa, muito mesmo, quer passar a vida com ela e realmente acredita que ela não faria nada de ruim pra você, que essa pessoa nunca te trairia ou mentiria pra você. Até que um belo dia… A merda acontece e seu mundo desmorona. Você realmente acredita que aquilo foi apenas um erro, que a pessoa não faria novamente e decidi perdoar. Ela te promete mil coisas, fala que vai ser um príncipe, que nunca mais vai fazer isso ou aquilo, você acredita e realmente espera que tudo isso se torne real, mas a realidade não é essa. Começam a aparecer mentiras, mentirinhas, mentiras cabeludas e é claro, que você, como boa detetive e mulher por natureza, descobre tudo. No começo você fica puta, não entende como ele pode ser tão burro, mas vai achando que ele vai melhorar e se tocar que está sendo um imbecil.
Infelizmente, enquanto isso, você vai se perdendo… Você vira “a louca”, desconfiada de tudo, que fica xeretando o celular, o facebook, que vê pelo em ovo, problema em tudo… Você vira uma pessoa que não é você. E ele começa a usar isso contra você, como se você que estivesse colocando o relacionamento no lixo, como se você tivesse algum motivo pra confiar nele, né? rs
Com o tempo, você nem se surpreende mais com tantas merdas surgindo, com tantas mentiras… Com o tempo, você já entendeu que isso não vai mudar, você nem chora mais quando descobre algo, você não confia nem em um fio de cabelo dele e você também começa a se perder no relacionamento, ver que não vale mais a pena… E aí ele chegou ao fim, finalmente. No meu caso, ele foi, voltou, foi, voltou. Algumas coisas melhoraram, outras nem tanto, mas a confiança, meu amigo… Ah, a confiança não é recuperada nunca.

Agora que eu já dei um resumo do que foi UM relacionamento merda, vou dizer como eu me senti e acho que é como muitas pessoas se sentem pra explicar meu ponto pensado enquanto eu assistia à série.

Você ama essa pessoa, você se apaixonou por uma versão dela e por mais que ela tenha cagado na sua cara, esfolado no asfalto, jogado sal em cima e pisado em cima dela, você ainda acredita que essa versão está lá dentro. Afinal, nos seus momentos bons, é assim que você se sente. Quando está tudo bem, está tudo bem, está tudo ótimo, até. São nos momentos bons que você se agarra, quando você tem um momento bom, você foca naquilo, pensando “é por isso que vale a pena”. O problema é quando uma mentira é descoberta, quando ele some uma noite, duas noites… O problema é quando essas coisas acontecem. Mas quando está tudo bem, realmente está tudo bem e você, mulher boba e apaixonada, acredita que ele vai mudar.

Mas acho que o maior problema não é esse, o maior problema é o sentimento de “eu cheguei até aqui e vou desistir?” Você já perdoou traição (ou traições), quilômetros de mentiras, milhões de vacilos… e vai desistir? Você é uma mulher forte, foda, já chegou até aqui e vai desistir? Você depositou simplesmente todas, todas as suas forças nesse relacionamento e vai desistir? A resposta dessa pergunta deveria ser sim em todos os momentos. Na verdade, ela deveria ser sim no segundo ou terceiro vacilo. (só não digo primeiro porque acho que todos erram e o ser humano é falho) – mas errar sem parar é foda né migos.

A resposta deveria ter sido sim naquele momento em que você ficou indignada que estava passando por isso de novo em tão pouco tempo, você deveria ter desistido quando no fundo sabia que não teria melhora e que você viveria aquilo por muito, mas muito tempo. Na realidade, a palavra não é “desistir”, mas se livrar. Se livrar do que claramente não está te fazendo bem mais.

Eu sempre espero o melhor das pessoas e sei que em muitas das vezes que essas coisas acontecem, não é que a pessoa realmente é uma pessoa merda, que ela é má ou que ela quer o seu mal, mas acho que muitas vezes falta maturidade, principalmente. Infelizmente, vivendo o que vivi e vendo tantas amigas e conhecidas vivendo coisas parecidas, eu cheguei a uma conclusão: homem é burro. Se você é homem e está lendo isso, foda-se, homem, no geral, é burro sim. Um exemplo simples é: você fala pro seu namorado exatamente o que ele precisa fazer: “oi namorado, pra você me fazer feliz, pra você acertar nesse relacionamento, você só precisa ir pra direita e dar um pulinho”. O que ele faz? Vai pra esquerda, pra trás, pra diagonal, pra frente e dá uma cambalhota. Tudo, tudo mesmoooooooo, menos o que você falou. E não estou nem falando de coisas complicadas, tá? Mas do óbvio mesmo, tipo não fazer merda ou fazer o mínimo que um namorado deveria fazer.
E acho que o pior disso tudo mesmo é você ter que falar o que ele deve fazer, mas tudo bem, né.

Enfim, esse sentimento de depositar todas as suas energias em um relacionamento esperando que ele dê certo, dando motivação pro seu namorado, escrevendo cartas provando o seu amor, dizendo que acredita nele, pontuando os seus erros pra fazer com que ele enxergue e entenda tudo o que você viveu, o quanto sofreu… Esse sentimento de merda de ter feito simplesmente o possível e o impossível por um relacionamento e ver ele se perdendo assim é horrível.

Você sabe que você já deveria ter terminado, você tem noção do quanto você é troxa, você até fala isso pras suas amigas, mas você não consegue sair daquilo.
No começo, você contava tudo pra elas, você desabafava, você contava cada cagada dele, mas com o tempo, suas amigas pegam raiva dele e você até para de contar as coisas, porque não quer que elas odeiem ele. Afinal, você ainda ama ele.
Cara, quando você para de contar as coisas pras suas amigas por medo do que elas vão falar, é porque a coisa tá feia. Porque tantas mulheres não contam que estão sendo agredidas, seja psicologicamente ou fisicamente? Por vergonha, por medo, porque elas sabem que isso é errado, mas elas querem acreditar que isso vai mudar, elas não querem cair na real que a realidade delas é uma merda.

Vou até falar uma verdade pra vocês, eu terminei de vez meu relacionamento muito porque eu não conseguia mais falar pras minhas amigas que “mais uma merda tinha acontecido”. Eu sabia que era um “chega”, sabe? Ninguém mais tinha paciência pra ouvir mais uma bosta, muito menos eu. Aí caiu a ficha. Finally.

(ps: pra quem não sabe, sim, nós mulheres contamos praticamente tudo umas pras outras)

Enfim, é isso que a gente sente: vergonha, impotência.

Mas o que deveríamos sentir: a realidade e que, a cima de tudo, A CULPA NÃO É SUA.

Não foi porque você começou a desconfiar dele que ele começou a esconder coisas de você, ele começou antes. Sério. A culpa não é sua!!! Se ele é um cuzão, a culpa não é sua! Se ele te traiu, a culpa não é sua! Isso é o principal de tudo, sério. Se mais mulheres enxergassem tudo isso, o mundo seria um lugar melhor e as mulheres seriam mais felizes.

Não deixe ele fazer com que você acredite que a culpa é sua, por favor. Não deixe ele aproveitar de um erro seu pra jogar toda a culpa em você, como se você fosse um monstro em cometer um errinho enquanto ele comete milhões de errões, não deixe ele perder o respeito com você, não deixe ele te xingar de coisas horríveis. Você não é vadia, não é filha da puta, não é uma puta, nem vagabunda. Você é linda, você é uma mulher foda e não merece um lixo fazendo o que quer com você e o seu relacionamento e ainda fazendo com que você acredite que a culpa é sua.

Eu cheguei num ponto de ser “tão louca” que tinha medo de ser assim com um próximo namorado. Mas graças a Dios eu sempre fui muito segura e lembrava do começo do relacionamento e de outros, que eu era muito de boa e tranquila. Afinal, quando você confia na pessoa, você confia na pessoa. Não precisa de nada pra provar o contrário, mas quando você não confia, não confia. É simples.

Um outro tipo de relacionamento abusivo, também vivido por mim, é claro, é aquele em que a pessoa vai te mudando e diminuindo aos poucos.
Eu não sou uma mulher “fácil”, no sentido de não ser aquela pessoa quietinha, que não fala o que pensa, que não faz o que quer. Eu sempre fui muito eu, sempre acreditei muito em mim, sou extrovertida, uso a roupa que quero, falo com as pessoas, conheço gente nova, enfim… Acho que deu pra entender.

Em uma fase, em um namoro da minha vida, meu namorado tinha muito ciúmes de mim, dos meus amigos, da minha vida, no geral. Se eu pensava em ir pra uma festa sem ele, era um caos, um drama, era como se o mundo fosse acabar e eu fosse uma escrota em estar fazendo isso. Ameaças de término, drama pra todo lado… E é claro que eu, imatura, cedia e não ia. Depois começou os ciúmes com meus amigos, meus melhores amigos… Quando vi, já não falava direito com eles. Aí com as minhas roupas, eu ia sair de shorts e já vinham comentários: “Você não vai sair assim, né?” E eu mudava de roupa. Chega a ser bizarro a acreditar que eu passei por isso, logo eu. Comecei a me tornar uma pessoa que não era eu, a meio que me enterrar dentro de mim, perder minha identidade. Os dois eram muito imaturos, duas crianças, hoje os dois sabem que foi uma época errada. Serviu de aprendizado pra ambos, mas foi foda passar por isso, é claro.

Até mais velhos, muitos passam por isso. Aliás, é a coisa mais comum do mundo, tem gente que passa literalmente a vida inteira assim. Já rolou coisa parecida comigo em outros relacionamentos, mas eu não deixo mais passar. Agora eu tenho plena consciência de quem eu sou, eu amo essa pessoa que me tornei e não vou deixar ninguém me diminuir ou impedir de ser eu mesma em qualquer momento da minha vida. Gostaria que mais mulheres pensassem assim.
Com certeza com o crescimento do feminismo e do emponderamento das mulheres, muitas estão pensando mais assim, não estão deixando mais macho diminuí-las ou qualquer coisa do tipo, mas ainda é algo que acontece muito, infelizmente. Muitas vezes já aconteceu em “proporções menores” comigo sem eu nem perceber direito. Mas eu sempre tento reafirmar pra mim mesma quem eu sou e que eu não tenho que ter vergonha de nada disso, de nada do que eu gosto, do meu jeito, das coisas que falo, de nada. E não posso deixar ninguém me fazer acreditar no contrário.

E isso se aplica em qualquer relacionamento, na vida cotidiana, com seus amigos, com conhecidos, com colegas. Não deixe, nunca, de forma alguma, alguém te diminuir, alguém te fazer acreditar que você não é o suficiente, que você não deve usar uma roupa curta, que você não deve usar um batom vermelho, que você não deve dançar de tal forma, nunca. Não fique com alguém que não te dê valor, que minta pra você, que te traia, que te bata, que foda com o seu psicológico, que te faça chorar sempre, não fique. Saia desse relacionamento, fuja. Você merece mais, muito mais. Você é linda.

Você não merece passar noites em claro preocupada sem saber onde ele está, não merece ter vontade de chorar na rua, no trabalho, no ônibus, na faculdade, na escola, em casa… Em lugar nenhum, por conta do que ele faz e fala pra você. Você não merece esgotar suas próprias energias em um relacionamento que mais te faz mal, do que bem. Você não merece nada disso. Você merece mais.

Por favor, mulher, lembre-se disso.

E homem, se você estiver lendo, lembre-se disso também. Não faça nada disso com alguém, nunca.

Enfim, queria falar sobre tudo isso porque ontem me veio á cabeça, pensei “poxa, nunca escrevi sobre isso?” e me senti na necessidade de colocar tudo pra fora e quem sabe, ajudar alguma mulher passando por isso.

E se você chegou até aqui, assista esse vídeo, ele retrata perfeitamente como começa um relacionamento abusivo.

quem ja viveu relacionamentos abusivos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s